Posse responsável

O significado de posse responsável hoje em dia requer diversos cuidados, que, aliados ao bom senso do proprietário visam a garantir que o animal tenha a melhor qualidade de vida possível.

1- Tudo isso começa ao se escolher a raça do animal a ser adotado, ou seja, pesquise sobre as necessidades específicas do animal, porte quando adulto, temperamento, caso seja um animal de raça. Por exemplo, não se pode adotar um Labrador quando se vive num apartamento, pois é um cão que exige atividade física, brincadeiras e espaço.

2- Escolhida a raça, realize a vacinação. Existe um protocolo de vacinas essenciais e não essenciais. Tanto uma quanto a outra, são altamente recomendadas no Brasil, já que os índices de acometimento de doenças infecciosas é grande.

3- Realize a vermifugação periódica. Para alguns cães, é recomendado a vermifugação até 4 vezes ao ano, tudo depende do quanto ele está exposto a esse tipo de parasita. A infestação pode prejudicar o tratamento ou agravar outras pré-existentes. Também está ligado a algumas emergências veterinárias.

4- Ofereça um alimento de qualidade, evitando oferecer petiscos de procedência duvidosa e principalmente comida caseira, já que os cães possuem necessidades nutricionais diferentes das do ser humano.

5- Mantenha o ambiente do animal sempre limpo, com água fresca a vontade. Troque pelo menos 3 vezes ao dia, principalmente nos dias de maior aumento temperatura.

6- Quando for passear use sempre uma coleira, pois os cães podem ser impulsivos ao ver os outros animais, e ao atravessar a rua, pode ser atropelado, ou causar um acidente.

7- Não deixe que ele tenha acesso livre à rua, pois além de poder sofrer um atropelamento, está sujeito a diversos outros riscos. Esse tipo de animal é o chamado cão semi-domiciliado, que está mais sujeito a morder pessoas nas ruas, pois acha que outros estão “invadindo seu território”.

8- O uso de uma coleira que identifique o animal e localize o proprietário é muito prudente. Hoje em dia, o uso do microchip é uma técnica segura, confiável, e que alcança cada vez mais pessoas.

9- A castração é um método de controle populacional, evitando crias indesejadas. Se seu cão não é para fins de reprodução, é indicado a castração.

10- Além de se evitar crias indesejadas, a castração traz como vantagens: proteção a câncer de mama e infecções uterinas (piometra)  que são extremamente graves, constituindo-se no mínimo como uma urgência veterinária. Caso seja macho, evita-se complicações testiculares e prostáticas.

11- Um cão tem seus hábitos de vida, portanto deve-se evitar a “humanização” dos cães e gatos. São animais, e deve ser cuidado para que não haja extrapolação de cuidados, além do necessário. Não se deve impedir que o cão ou o gato exerça seus hábitos e instintos naturais.