Vacinas

O protocolo vacinal deve ser estabelecido de acordo com as condições clínicas do paciente e, além disso, deve-se conhecer o ambiente em que o animal vive, o risco de exposição aos agentes infecciosos, se a mãe é vacinada ou não, até mesmo a raça é levada em consideração (já que no caso da parvovirose, existem raças mais sensíveis e que devem receber um protocolo diferenciado) e diversos outros fatores que só o Médico Veterinário é capaz de avaliar.

As vacinas realizadas nas clínica Veterinárias, realizada por Médicos Veterinários, são as chamadas vacinas éticas pois apenas esses estabelecimentos e sob a responsabilidade desse profissional é que as vacinas são liberadas e realizadas.

Diversos fatores contribuem para a eficácia da vacina, desde fatores externos, como o armazenamento adequado, envolvendo o controle de temperatura, manipulação, data de validade, até mesmo os fatores relacionados à produção da vacina, como a purificação do agente, atualização da vacina, de acordo com as possíveis mutações dos vírus encontrados, adjuvante entre outros contribuem para uma melhor eficácia e proteção.

Quando o proprietário do animal decide levar ao Veterinário para fazer um esquema de vacinação, é este profissional que será capaz de avaliar se o cão ou gato está apto ou não para começar a receber o protocolo vacinal. Doenças ou condições pré-existentes, podem contraindicar a vacinação. No caso de o animal estar apto a receber a vacina, então o Veterinário decidirá o melhor protocolo, após conhecer toda a história clínica.

A vacinação é algo muito mais complexo do que a simples aplicação de uma injeção. Exige conhecimento e bom senso.

POLIVALENTE OU V10

É uma vacina que protege o cão de diversas doenças infecto-contagiosas. As principais são cinomose e parvovirose; as outras, não menos importante são: hepatite infecciosa canina, parainfluenza canina, coronavirus e principais variantes de leptospirose.

Em cães a primeira imunização deve ser realizada quando filhote, a partir dos 45 dias. Para efetivamente garantir a imunidade, necessita-se de 3 doses com intervalos de 21 dias entre uma e outra dose. O reforço deve ser feito anualmente.

Em cães da raça Rotweiller, além das 3 doses, deve ser feita uma quarta dose de reforço, tendo em vista a susceptibilidade dessa raça à parvovirose.

RAIVA

Doença viral mais grave que pode acometer os cães, pois além de não existir tratamento, pode infectar o ser humano, para o qual também não existe tratamento eficaz.

Ao ser mordido por um cão que você não sabe se é vacinado contra raiva, além de PROCURAR UM POSTO DE SAÚDE, lave bem a ferida imediatamente com água e sabão e depois passe álcool, pois o vírus é muito fraco QUANDO ESTÁ NO MEIO AMBIENTE OU NUMA FERIDA RECÉM ABERTA.

Este mesmo procedimento pode ser feito com seu cão que foi mordido, e claro, procurar atendimento veterinário, pois o objetivo é evitar que o vírus alcance alguma ramificação nervosa, pois é a partir daí que o vírus consegue chegar ao sistema nervoso central.

Juntamento com a V10, a vacina contra RAIVA faz parte das VACINAS ESSENCIAIS a ser administrada no cão.

GRIPE CANINA OU TOSSE DOS CANIS

Os cães também são susceptíveis a ter seu tipo específico de gripe. Existem diversos micro organismos envolvidos nesta doença, que podem ser prevenidos com uma vacina específica.

A vantagem em se PROTEGER contra esta enfermidade, é que diminui o uso de antibióticos e medicamentos direcionados ao sistema respiratório. Diminuindo também a ocorrência das complicações de uma doença respiratória, como pneumonia.

GIARDIA

A giárdia é uma doença gastro entérica causada por um protozoário. Pode ser encontrada no  intestino dos animais ou ser humano contaminados, causando sintomatologia ou não. Cães, gatos e o homem, pode adquirir o protozoário através de água, alimentos, pelos contaminados.

A vacina atua de forma eficaz em proteger os animais contra essa doença, que leva à dor abdominal, vômito e diarréia graves.

Quando afetado pela doença, o diagnóstico definitivo é feito através de exames de fezes; muitas vezes, o exame deve ser feito várias vezes até que se consiga achar o protozário.

O tratamento, tanto no animal como no ser humano, é feito com base em antibióticos, anti-eméticos (vômito), terapia de reidratação, entre outros.

A vacinação dos gatos é realizada pela aplicação de uma vacina polivalente, podendo ser tríplice, quadrupla ou quíntupla.
No caso dos gatos, a partir de 60 dias, o protocolo já pode ser realizado. Leve ao Médico Veterinário e ele definirá como será realizado.
TRÍPLICE
Protege contra o vírus da Panleucopenia Felina, Calivirose e Rinotraqueíte
QUÁDRUPLA
Além da Panleucopenia, Calicivirose e Rinotraqueíte, está acrescido a proteção contra Clamidiose.
QUÍNTUPLA
Está acrescido de uma proteção contra FeLV (Leucemia Viral Felina).